Domingo, 27 de Agosto de 2017

HISTORINHA - A TOUPEIRA E O GRILO (Para os mais pequenos)

1947174.jpg

― Está tão abafada a tarde! – queixa-se a toutinegra, penas cor de fogo, empoleirada num ramo do pessegueiro. 
― O mais certo é vir por aí forte trovoada. No Verão é assim: chuva e trovoada quando menos se espera! – resmunga a toupeira, olhinhos piscos, cabeça fora do buraco, a remover detritos e entulho, num asseio.
― Para si é capaz de ser uma maçada, não, senhora Toupeira? Como vive debaixo do chão… – arrisca a toutinegra.
― Oh!, não, está enganada. A chuva no Verão não incomoda os bichos como eu. A terra está quente e seca e a água depressa evapora.
― E eu a julgar que ficava com a casa inundada! – cacareja a galinha-pedrês.
― Isso acontece no Inverno, quando a água corre que parece um ribeiro nas câmaras e nas galerias que escavo. Nessas ocasiões, redobra o meu trabalho. Com as minhas unhas afiadas, abro logo outras, mais acima, onde me abrigo.
― Coitada! Que grande perigo! Tem de ter cuidado… – aconselha a pedrês.
― Cuidado tenho, em procurar no Inverno os sítios abrigados e secos, nas encostas, e não nas zonas baixas e alagadas. Agora no Verão, como não vejo quase nada, se estiver fora do buraco, à noitinha, e não der depressa com ele, o mais que me pode acontecer, se começa a chover, é apanhar um banho! – exclama a toupeira, divertida.
― O que seria um inconveniente! – comenta a toutinegra.
― Ou uma vantagem. – contrapõe a galinha-pedrês.
O grilo, vindo do seu passeio, dá um salto e aquieta-se sobre uma pedra.
― Vantagens e inconvenientes fazem lembrar a dona Toupeira em pessoa! – diz, intrometido, o insecto saltador.
― Ora essa! – abespinha-se a toupeira, num amuo – Que eu saiba, a conversa não é consigo, ó senhor Grilo!
― Mas passa a ser agora, se me dá licença! – grigrila o grilo grilão, todo aprumado no seu fato preto.
― Nesse caso, queira explicar-se, porque eu não gosto de graças. – respinga a toupeira, virando na direcção do grilo os bigodes, que lhe fornecem a orientação e todas as informações que os olhos não lhe podem dar.
A galinha-pedrês põe a crista à banda, atenta à explicação. A toutinegra pula para um ramo mais baixo, ouvido à escuta.
― É simples. – esclarece o grilo – O trabalho aqui da dona Toupeira é de toda a utilidade, porque destrói as larvas, as lesmas, os insectos nocivos…
― Olha a novidade! – interrompe a toupeira, a fungar de troça.
― Pois é – continua o grilo –, mas em contrapartida, como vive debaixo da terra, entretém-se a roer as raízes das árvores e das plantas, o que se torna num grande inconveniente. Principalmente, nesta altura do ano, quando se muda para os pomares e para as hortas, à procura de terrenos macios!
― Isso é verdade! – comentam, entre si, a toutinegra e a galinha-pedrês, olhando a companheira de soslaio.
― Mas não é por mal! – defende-se a toupeira, focinhito a disfarçar, num montinho de terra. – Preciso de escavar as minhas galerias à procura de alimento: larvas, minhocas, bichos-de-conta, formigas…
E logo o grilo, trocista, asinhas levantadas:
― Já se vê que não é por mal, dona Toupeira. Afinal, não há ninguém perfeito!
A toutinegra e a galinha-pedrês voltam a estar de acordo:
― Isso é verdade! – repetem as duas, muito bem ensaiadas.

 

Soledade Martinho Costa

 

Do livro «Histórias que o Verão me Contou»
Ed. Publicações Europa-América

publicado por sarrabal às 23:48
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. MEDITERRÂNICA

. SAUDADE

. CALENDÁRIO - OUTUBRO

. 1 DE OUTUBRO - DIA MUNDIA...

. «O NOME DOS POEMAS»

. HISTORINHA - O MOCHO E A ...

. A CONTRACAPA DE «O NOME D...

. O MEU NOVO LIVRO «O NOME ...

. A VOZ DO VENTO CHAMA PELO...

. ALGUMA COISA ACONTECE

. HISTORINHA - A TOUPEIRA E...

. CALENDÁRIO - AGOSTO

. LEMBRAR AMÁLIA

. PARABÉNS SARRABAL - E VÃO...

. CERTEZA

. SÃO JOÃO - O SOL E AS PLA...

. PORTUGAL A ARDER - O FOGO...

. HISTORINHA - A ABELHA E O...

. ALGUÉM SE LEMBRA?

. SANTO ANTÓNIO - AS MARCHA...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.links

.Contador

conter12
blogs SAPO