Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009

ABRE-LATAS - O DEUS DE SARAMAGO

 

O último livro de José Saramago vem mostrar que algumas figuras públicas, a partir de um dado momento, não passam sem continuar a ser o «centro das atenções». Pagam o protagonismo a qualquer preço. Saramago é livre de ter a sua opinião no que respeita a Deus e à Bíblia. Não pode é impô-la como verdadeira. A minha opinião (diferente) é tão válida quanto a dele. Estamos em pé de igualdade. Com uma diferença. Não perfilho livros que vão atingir e ferir sentimentos alheios. As religiões deviam ser intocáveis. Todas. A favor ou a desfavor. Questão de bom-senso.
 
De origens humildes, família de pais e avós pobres, Saramago vendia livros atrás do balcão de uma livraria no Chiado. Tirou apenas o curso comercial. Mas nasceu com um dom: o de escrever. Hoje é um Prémio Nobel da Literatura, que se dá ao luxo de provocar o Mundo. Foi um eleito – ser escritor, não se aprende. Não sei se Saramago já se perguntou «porquê?».
 
Saramago passou dificuldades na vida. Falta de dinheiro. Hoje é senhor de grande fortuna. A idade vai avançada. Esteve à beira da morte e continua vivo. É um eleito – raras pessoas têm tanta sorte. Não sei se Saramago já se perguntou «porquê?».
 
Saramago viveu numa casa alugada, modesta, de um bairro antigo de Lisboa (Madragoa). Não se dava bem com o amor. Hoje tem uma mansão na ilha de Lanzarote. A seu lado, uma mulher jovem, bonita e inteligente. É um eleito – raras pessoas têm tanta sorte. Não sei se Saramago já se perguntou «porquê?».
 
Saramago não precisa de nada nem de ninguém. Só precisa de chamar as atenções. E é perito a fazê-lo. Tem aquilo que desejou: ser falado. Não interessa os motivos. Foram os que decidiu que fossem. Acertou em cheio. Só duvido que o livro venda tanto como ele, apesar de tudo, deseja. As bolsas portuguesas não estão abonadas para uma ida às livrarias. Depois, o interesse pela obra é relativo: de um lado, a Igreja e os católicos, cuja maioria não vai comprar. Do outro, os ateus, cuja maioria também não vai ler, porque já conhece o conteúdo, principalmente, pela boca de Saramago. Ficam os curiosos, os estudiosos, os solidários de Partido e os pseudo-intelectuais do luso-provincianismo que não perdem, nunca, a oportunidade de expor na estante o último livro de Saramago - embora não façam a menor intenção de o ler.
 
Resta saber se Saramago tem medo da morte. Naturalmente, não. Se tem certezas absolutas. Naturalmente, não. Vamos, então, supor que Deus, um dia, lhe aparece à frente. Vamos, então, supor que vai perguntar-lhe: «porquê, Saramago?!».
 
Um Deus assim, que tudo deu a alguém que o renega e ofende – partindo do princípio que Deus tudo vê e prevê, que tudo sabe – não pode ser o mesmo Deus de Saramago.
 
Soledade Martinho Costa
 
                                           
 
publicado por sarrabal às 00:54
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Daniel a 30 de Outubro de 2009 às 15:18
O Saramago não tinha necessidade de fazer uma figura destas. Que é triste, perante gente com alguma cultura que inclua a da Bíblia, e de herói, para a grande maioria que não sabe nada do assunto. Talvez seja uma opção consciente.


De sarrabal a 30 de Outubro de 2009 às 19:17
Caro Daniel, a minha «opção« foi fazer uma abordagem diferente. Mais terra-a-terra, mais simplória ou simplicista. Mas como conheci bem o Saramago de «outros tempos», é esse o «retrato» que me apeteceu fazer dele. O «retrato» do homem, não o do escritor, não da sua obra, nem do seu último livro. Na vida há muitos «porquês» para os quais, por vezes, não obtemos resposta.

Abraço amigo da Sol


De Ibel a 30 de Outubro de 2009 às 21:11
Por acaso vim ter aqui.Ainda bem.Como eu gostei deste texto.Tocou-me especialmente e perguntei-me: porquê?.Não agride, não atira pedras, não tem nenhum espinho.É tudo dito com leveza.
Já tinha lido algo seu no sete vidas como os gatos e agora venho encontrá-la aqui e pergunto-me:porquê?
Tenho, sem querer, lido imensos comentários sobre este livro do Saramago.Houve a mesma reacção aquando do "Evangelho Segundo Jesus Cristo". Não fui capaz de o ler até ao fim.Pergunto-me:porquê?
Li outros e acho Saramago um escritor genial. O Memorial do Convento é dos livros que qualquer escritor gostaria de ter escrito, sobretudo ter inventado aqula bendita Blimunda SeteLuas.
Tenho-me espantado com o facto de ver o escritor tão atacado por intelectuais e tenho reagido com uma certa agressividade. Mas só hoje ouvi a entrevista e também me senti magoada .Pegunto-me:porquê?
Hoje li o texto do Daniel e fiquei apaziguada.Li o seu e fiquei leve, Soledade.Porquê?Encontrei a resposta"As religiões deviam ser intocáveis. Todas. A favor ou a desfavor. Questão de bom-senso."


De sarrabal a 30 de Outubro de 2009 às 21:56
«Por acaso veio ter aqui»: porquê, Ibel? Se foi para «ficar leve» com a leitura do meu texto, como diz, ainda bem que o escrevi.
Como disse na resposta ao comentário do Daniel, optei por outro caminho, que não os que tenho lido.
Fiquei feliz com as suas palavras (é um belo comentário, bem escrito). Quem não ficava? Bem-vinda ao Sarrabal, Ibel!
A minha intenção principal ao colocar este post, foi, exactamente, para dizer o que transcreve do meu texto nas duas últimas linhas. A mensagem chegou ao destinatário. Obrigada!

Soledade Martinho Costa


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. CALENDÁRIO - OUTUBRO

. 1 DE OUTUBRO - DIA MUNDIA...

. «O NOME DOS POEMAS»

. HISTORINHA - O MOCHO E A ...

. A CONTRACAPA DE «O NOME D...

. O MEU NOVO LIVRO «O NOME ...

. A VOZ DO VENTO CHAMA PELO...

. ALGUMA COISA ACONTECE

. HISTORINHA - A TOUPEIRA E...

. CALENDÁRIO - AGOSTO

. LEMBRAR AMÁLIA

. PARABÉNS SARRABAL - E VÃO...

. CERTEZA

. SÃO JOÃO - O SOL E AS PLA...

. PORTUGAL A ARDER - O FOGO...

. HISTORINHA - A ABELHA E O...

. ALGUÉM SE LEMBRA?

. SANTO ANTÓNIO - AS MARCHA...

. CANTO DO VENTO

. ZECA AFONSO

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.links

.Contador

conter12
blogs SAPO