Domingo, 11 de Novembro de 2007

SÃO MARTINHO - O APÓSTOLO DAS GÁLIAS

 


Nasceu em Sabária da antiga Panóia (hoje Hungria) entre 315 e 317, filho de um oficial do exército romano. Estudou em Pavia, embora o pai, na intenção de afastá-lo das influências cristãs, o tenha inscrito no exército com a idade de quinze anos.


Seguindo a orientação da família, Martinho tinha por devoção os deuses que faziam parte da mitologia dos Romanos. Ainda assim, e de acordo com a lenda, numa manhã de Inverno, chuvosa e fria, perto de Amiens (França), indo ele a cavalo, viu um pobre quase nu que lhe pediu esmola. Como não tivesse consigo nada que pudesse socorrer o mendigo, servindo-se da sua espada, cortou ao meio a capa que levava sobre os ombros, para que o pobre pudesse agasalhar-se. Nessa altura, a chuva parou e o Sol rompeu por entre as nuvens a permitir o aquecimento da temperatura. Daí para cá, por esta data, a situação repete-se. Durante uns dias, parece que o bom tempo resolve voltar. É o chamado “Verão de São Martinho”, a fazer lembrar o lendário milagre.


Ainda de acordo com o mito, nessa noite Martinho sonhou com o mendigo que lhe dizia: “Eu sou Jesus e tu dividiste a tua capa comigo. Sempre que fizeres o bem aos mais necessitados, é a mim que o fazes”. Impressionado, Martinho começa a converter-se à Religião Cristã – por essa época já adoptada pelo imperador Constantino I, que permite o Catolicismo praticado livremente no Império, sendo, mais tarde, proclamado como a Religião do Estado.


Obrigado por lei ao juramento militar, que o obrigava a servir a Guarda Imperial até aos quarenta anos, mas consciente de que não poderia perseguir os seus irmãos na fé, resolve exilar-se. Certo das suas convicções religiosas, vai encontrar-se com Santo Hilário (bispo de Poitiers, França), tornando-se seu discípulo. Mais tarde (supõe-se que em Julho de 371), é por este ordenado e sagrado bispo de Tours (França).


Retirado a seu pedido, para um lugar isolado (Ligugé, perto de Poitiers), vive como um monge num local humilde, mas depressa reúne à sua volta discípulos atraídos pela sua fama de grande sabedoria e bondade. Ali, funda o Mosteiro de Lingugé e, mais tarde, junto da cidade de Tours, o de Marmontier, este com um Seminário. Opta, então, pela vida monástica, arrastando com ele outros crentes na nova religião. A sua fama espalha-se pelo Mundo, assim como as suas pregações. A sua simplicidade, bondade e despojamento, levam a que o considerem um santo. Apelidado de Apóstolo das Gálias, São Martinho ficou conhecido, particularmente, pela sua extrema caridade.


A sua vida dedicada à pregação induziu a que mandasse destruir templos dedicados aos deuses pagãos, a introduzir festas religiosas e cristãs e a defender a independência da Igreja do poder político. Atitudes nem sempre bem aceites, tendo sido, por vezes, repudiado e até maltratado. Morre em Candes (França) no dia 8 de Novembro de 397 com oitenta anos. O corpo chega à cidade francesa de Tours no dia 11 de Novembro, acompanhado por cerca de dois mil monges e muito povo devoto, sendo sepultado no cemitério à entrada da cidade.


Em 444 é-lhe dedicada uma capela, seguida, por volta de 458 ou 459 da edificação de uma basílica. Durante a Idade Média eram constantes as peregrinações ao seu túmulo, só comparáveis às que eram feitas aos sepulcros dos Apóstolos em Roma, tal a fama dos seus milagres. Ao longo dos séculos foi considerado o santo mais popular da Europa Ocidental. A crença em São Martinho era tanta que os Merovíngios (nome da primeira dinastia que reinou em França), antes de partirem para a guerra, rezavam junto do seu túmulo, levando as tropas, na dianteira, a capa do santo como talismã. Os seus atributos são um cavalo branco, uma espada e um manto. Iconograficamente, aparece galopando à frente dos exércitos.


Quanto à alegoria “Verão de São Martinho”, relaciona-se com o facto de se registarem, quase sempre no início de Novembro, alguns dias de temperatura amena e por vezes de calor. Por isso, diz o povo: “O Verão de São Martinho, é bom mas é curtinho”.


Não se lhe conhece, todavia, qualquer ligação ao vinho. Supostamente, a sua celebração resultará da apropriação ou réplica cristã, das festividades greco-romanas dedicadas a Baco, deus romano e grego do vinho, que tinham lugar em Roma e na Grécia por altura da abertura nas adegas do vinho novo (9 de Outubro). Nos países vinícolas do Sul da Europa, a data é celebrada com o vinho novo e a água-pé, estando o seu culto relacionado com a terra, as previsões do ano agrícola, festas, canções e rituais associados à abundância das colheitas.

 

 

Soledade Martinho Costa

 


In “Festas e Tradições Portuguesas”, Vol. VIII
Ed. Círculo de Leitores

publicado por sarrabal às 00:41
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. CALENDÁRIO - AGOSTO

. LEMBRAR AMÁLIA

. PARABÉNS SARRABAL - E VÃO...

. CERTEZA

. SÃO JOÃO - O SOL E AS PLA...

. PORTUGAL A ARDER - O FOGO...

. HISTORINHA - A ABELHA E O...

. ALGUÉM SE LEMBRA?

. SANTO ANTÓNIO - AS MARCHA...

. CANTO DO VENTO

. ZECA AFONSO

. 23 DE ABRIL - DIA MUNDIAL...

. DEDICATÓRIA

. SEMANA SANTA - O GALO DAS...

. CELEBRAÇÕES DA QUARESMA -...

. CALENDÁRIO - MARÇO

. CARNAVAL - A MÁSCARA

. TODOS OS LUGARES SÃO TEUS

. BOLO-REI - ORIGENS

. A VIAGEM DOS TRÊS REIS MA...

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.links

.Contador

conter12
blogs SAPO