Quarta-feira, 30 de Abril de 2014

HOJE É QUARTA DEZANOVE

 

Do meu querido amigo Rui Vasco Neto deixo-vos este poema.

 

Mais um dia, outra jornada

lá fora tudo se move

cá dentro não mexe nada,

nem um pelo só, se agita

no meu corpo… Agitada

trago a alma, essa sim,

essa é que grita,

pede socorro, coitada

Já rouca, está tão aflita

que considera fugir,

tão farta que está de mim…

E eu?          

Eu estou farto de existir,

ontem assado, hoje assim..

Se ela quiser desistir

eu vou junto no arrear

(também eu queria fugir

e aqui estou, preso a ficar..)

Por isso alma: chega de gritar!

é inútil, acredita,

patético o sofrimento

toda a hora, noite e dia..

Já chega deste tormento.

O mundo não vai mudar,

a dôr nunca vai passar,

o processo é longo e lento…

Há que escolher, eu diria:

Vivo e preso, em agonia?

Não.

Antes cinza, solto ao vento.

 

rvn

 

 

publicado por sarrabal às 01:21
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Abril de 2014

PÁSCOA / 2014

 

São os votos do «Sarrabal» a todos os seus leitores.

 

Soledade Martinho Costa

publicado por sarrabal às 18:41
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Abril de 2014

QUARESMA - «ENCOMENDAÇÃO DAS ALMAS»

 

Nesta quadra ainda se conservam, um pouco por todo o país, celebrações  comportando práticas de apelação ou piedosas por intenção das almas. Enquanto umas se mantêm, outras acabaram por se perder no tempo, umas e outras evidenciando as suas longínquas proveniências.

 

Uma destas práticas rituais continua a verificar-se na aldeia da Eira Pedrinha (Condeixa, Beira Litoral), como praxe religiosa e culto propiciatório. Ali, junta-se um grupo de homens (dez, doze ou mais) que, em dois domingos seguidos da Quaresma, percorrem vários lugares, pedindo esmola e cantando por intenção das almas. O percurso é sempre idêntico, havendo já quem, por essa altura, espere a costumada «visitação». No primeiro domingo, de manhã, no final da missa, o grupo põe-se a caminho. É visitada a vila de Condeixa-a-Nova, seguida das aldeias de Salgueiro, Ameixeira, Palha Cana, São Fipo, Poço, Casal Novo e Bom Velho de Cima e de Baixo. No segundo domingo é a vez do lugar da Senhora das Dores e das aldeias de Atadoa, Valada, Atadoinha, Alcabideque e Avessada, terminando o «cantar às almas» no ponto de partida: a aldeia de Eira Pedrinha.

 

Em tempos recuados o percurso era feito a pé, de dia e de noite, a meio da Quaresma, levando os homens uma saca de sarapilheira onde guardavam o milho que lhes era oferecido em diversas casas das aldeias em vez de dinheiro. O problema maior surgia quando a saca ficava cheia… O milho era depois vendido, revertendo o dinheiro para o mesmo fim: missas por alma dos defuntos.

 

Os componentes do grupo usavam por essa época gravata preta e um cajado. Hoje, o percurso é feito de carro, sem a gravata preta, mas mantendo a praxe de cada um levar o seu bordão. Homens existiam (ou existem) nesta aldeia  que, sem interregno, procediam à prática desta devoção há mais de trinta anos. Actualmente, parte do dinheiro obtido por este meio é destinada pelo grupo a uma instituição de caridade, enquanto a restante é oferecida à Capela de São Jorge de Eira Pedrinha, tendo por destino a celebração de missas pela «encomendação das almas».

 

Quanto aos cantares, são feitos em dois pontos distanciados da aldeia visitada, dividindo-se os homens em dois grupos: ora cantando uns, ora respondendo os outros, ajoelhando em conjunto ao cantarem «Ajoelhemos por terra/ Já não somos os primeiros/ Na companhia trazemos/ Jesus Cristo verdadeiro».

 

Integrado no culto dos mortos (verificado noutras celebrações do calendário), o ritual toma diferentes nomes conforme as localidades: «lamentar as almas», «aumentar as almas», «deitar as almas», «botar as almas» ou «inventar as almas». Em Meridãos, Vale de Bestança, Montemuro, as antigas «ementas» consistiam na oração de um pai-nosso rezado pelo padre antes de iniciar a missa. Tantos pais-nossos eram rezados pelo pároco por intenção das almas quantos os pedidos das famílias que, no final da cerimónia, pagavam o ofício religioso.

 

Soledade Martinho Costa

 

Do livro «Festas e Tradições Portuguesas», Vol. III

Ed. Círculo dos Leitores

Foto: Jorge Barros

 

 

publicado por sarrabal às 00:58
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 2 de Abril de 2014

CALENDÁRIO - ABRIL

 

Ensaia a asa

O grilo
Na lura onde se esconde.
 
No vento correm novas
De mel e de colheitas
Oferecem as giestas
A cor ao alecrim.
 
Há cravos que despertam
Rubor nos alegretes
 
À promessa dos frutos
Abril diz que sim.
   
Soledade Martinho Costa
publicado por sarrabal às 21:28
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. CANTO DO VENTO

. ZECA AFONSO

. 23 DE ABRIL - DIA MUNDIAL...

. DEDICATÓRIA

. SEMANA SANTA - O GALO DAS...

. CELEBRAÇÕES DA QUARESMA -...

. CALENDÁRIO - MARÇO

. CARNAVAL - A MÁSCARA

. TODOS OS LUGARES SÃO TEUS

. BOLO-REI - ORIGENS

. A VIAGEM DOS TRÊS REIS MA...

. FELIZ NATAL E BOM NOVO AN...

. OUTROS NATAIS

. UM OLHAR SOBRE A PAISAGEM...

. OUTRO MILAGRE

. «SEARINHAS» DE NATAL

. COMO SE FOSSE HERODES O M...

. NATAL - AS FOGUEIRAS DO M...

. CALENDÁRIO - DEZEMBRO

. VULTO DE UM PAÍS

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

Site Meter
blogs SAPO