Sexta-feira, 27 de Setembro de 2013

ENIGMA

 

A sensação

Que aflora a minha pele

E se instala de manso

Em minhas veias

Confunde-me

Combate-me

Surpreende-me.

 

E a ruptura

Entre o olhar e os lábios

Acontece

Como se uma fronteira

Amanhecesse

Em engenhoso labor

Subterrâneo

A demarcar o gume das manhãs.

 

Aprisionada

Reconheço

Aceito o desafio.

 

No labirinto

Que enredeia

A dor e o sorriso

Bastará

Talvez

Uma palavra

Um aceno

Um só aviso.

 

E mais ímpia de mim

Vou pelos dias

Vestida apenas

Do espanto que professo

A procurar

Lá longe

Não sei onde

A chave

O mistério que se esconde

Entre a tortura

Das tuas mãos vazias.

 

Soledade Martinho Costa

publicado por sarrabal às 21:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Setembro de 2013

ANTÓNIO LOBO ANTUNES

 

A manter vivos
Os nomes
E a Casa
Ser o eco da infância.
 
À flor da pele
A ternura
Assumida e assinada.
 
Mas ser também
Vela de seda
Em mastro desfraldada
Num mar de rebeldia
E de coragem.
 
A inverter as regras
Ao recato
Imposto ao bom-nome
Das palavras.
 
 
 
Soledade Martinho Costa
 
Do livro «O Nome dos Poemas»
 
publicado por sarrabal às 21:50
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 2 de Setembro de 2013

ATÉ PARECE MENTIRA - MAS É VERDADE!

 

Esta tarde (1/ 9/ 2013) liguei a televisão (caso raro) e o ar condicionado (está muito calor aqui no Algarve) e fui fazendo umas coisas, deixando-me ficar pela sala. De vez em quando, um olhar de relance para o programa «Sons de Portugal» e a festa de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, emitida pela TVI.

 

O mesmo de sempre, para variar. O insuportável e repetitivo apelo para ligar o 760 qualquer coisa, ininterrupto, cansativo, exaustivo, a reverter para o feliz contemplado da dita chamada a quantia de 25 mil euros – uma fartura, comparada com as somas astronómicas que, desta forma simples e «inofensiva», vão parar aos cofres da PT.

 

A dada altura, eu nem queria acreditar no que via e ouvia. Ficam estas linhas a atestar a prova do meu espanto e da minha indignação. «Mas em que país é que estou? É este o meu país? O que fizeram ao meu país?», foi isto o que pensei e continuo a pensar.

 

Do grupo de artistas convidados (cantores que não conheço), surge no palco um cinquentão, gordo, bigodaças, a dar pelo nome de João Claro. Vestido de bombeiro e acompanhado por duas jovens igualmente vestidas (ou despidas) de bombeiras, com o fim de o acompanharem na «coreografia». Ouve-se a sirene dos bombeiros (que me arrepiou) e começa o tema, interpretado pelo dito «cantor» intitulado «Bombeiro nas horas vagas».

 

No meio dos incêndios ainda por extinguir, do medo dos reacendimentos que não dá tréguas às populações, das mortes, dos bens de muitas famílias irremediavelmente perdidos, da tristeza de vermos um país destroçado pelas chamas (o que ardeu em Portugal até agora foi igual ao que ardeu em todo o Mundo, ouvi no noticiário), aparece esta criatura, sem o menor pudor ou respeito, a cantar uns versos maliciosos, vestindo a farda daqueles que a honram, que arriscam a vida e a perdem, por uma causa nobre, como foi e tem sido o caso de há uns anos para cá, considerando-se este ano o pior de todos eles – incêndios ateados por mão criminosa, de que pouco se fala, preferindo-se atirar as culpas para «as pontas de cigarro deitadas fora ao longo das estradas pelos imprevidentes automobilistas»!

 

Quando o fogo andou tão perto do Santuário da Senhora dos Remédios, pergunto: quem põe mão nisto, neste descalabro, nesta vergonha, quem são estas personagens que infestam este Portugal que se deixa ultrajar por quem não o respeita? Quem nos defende e livra desta praga que nos entra pela casa dentro e nos ofende a troco de uns míseros euros – que a mais não deve chegar o seu cachet?!

 

Faço-vos um convite: vão ao Youtube e procurem João Claro e o tema acima citado («Bombeiro nas horas vagas»). Custa a acreditar. E mais: o «cantor» já esteve no programa da Júlia Pinheiro (Querida Júlia), a cantar o mesmo tema, tendo sido recebido pela apresentadora com as habituais gargalhadas, boa disposição e muitas palmas (como aconteceu em Lamego) de um público que não viu, decerto, as suas terras, os seus animais, as suas casas e o trabalho de uma vida inteira devastados pelas chamas.

 

Resta-me acrescentar que este vídeo desde há sete meses no Youtube, já conta com 22.850 visualizações. Custa-me dizê-lo, mas tenho vergonha do meu povo – ao contrário da Liliane Marise.

 

Soledade Martinho Costa

 

publicado por sarrabal às 03:03
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 1 de Setembro de 2013

CALENDÁRIO - SETEMBRO

 

Os noitibós
Segredam
O debandar dos trinos.
 
No escuro das adegas
Exala o vinho novo
Pressentem as ribeiras
Um destino sem escolhas.
 
Setembro
Nos teares
Abraça-se nos linhos
 
Enfeita o corpo
A terra
Com um sendal de folhas.
 
Soledade Martinho Costa
 
publicado por sarrabal às 01:36
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
15
16
17

20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. SÃO JOÃO - O SOL E AS PLA...

. PORTUGAL A ARDER - O FOGO...

. HISTORINHA - A ABELHA E O...

. ALGUÉM SE LEMBRA?

. SANTO ANTÓNIO - AS MARCHA...

. CANTO DO VENTO

. ZECA AFONSO

. 23 DE ABRIL - DIA MUNDIAL...

. DEDICATÓRIA

. SEMANA SANTA - O GALO DAS...

. CELEBRAÇÕES DA QUARESMA -...

. CALENDÁRIO - MARÇO

. CARNAVAL - A MÁSCARA

. TODOS OS LUGARES SÃO TEUS

. BOLO-REI - ORIGENS

. A VIAGEM DOS TRÊS REIS MA...

. FELIZ NATAL E BOM NOVO AN...

. OUTROS NATAIS

. UM OLHAR SOBRE A PAISAGEM...

. OUTRO MILAGRE

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

Site Meter
blogs SAPO