Terça-feira, 1 de Março de 2011

COISAS DA TERESINHA - OBJECTIVOS À VISTA!

 

 

A Teresinha cresceu. Tem agora 10 anos. Acabou o Ensino Básico e passou para o 5º ano do 2º Ciclo. Frequenta o Externato João Alberto Faria, em Arruda dos Vinhos, a cerca de 12 quilómetros de Alverca do Ribatejo, onde reside, mais precisamente na freguesia da Calhandriz. Gosta da nova escola, arranjou novas amigas, e, sobretudo, está feliz porque o irmão, o Rafa, estuda no mesmo colégio, onde frequenta o 7º ano.

  

Vá para onde for, a Teresinha leva consigo o «Magalhães», seu companheiro inseparável. E escreve, escreve, escreve… Desde há meses. Diz estar a escrever uma série juvenil: «É uma colecção de sete volumes!». Informou-me. Achei por bem argumentar: «E não será muito, Teresinha?». Olhou-me resoluta, resposta pronta: «Não, Avó, são mesmo sete!». Pois, então, que sejam sete. Esperemos…

  

Os pais gostam de ler, a Teresa desde sempre se habituou a ter em casa uma biblioteca com estantes que vestem as paredes e vão até ao tecto. Nas prateleiras de baixo, mais à mão, estão agora, ao lado dos muitos livros infantis, os livros juvenis dela e do irmão.

 

Não há dúvida de que o ambiente familiar propicia este género de comportamentos nas crianças. A avó escreve, o avô paterno também escrevia, a Teresinha tem vivido estes seus 10 anitos rodeada de livros, a ouvir falar de livros, a escutar histórias e depois a lê-las. O facto de dizer que quer ser escritora, é capaz de não chegar. É preciso mais. Mas pode afirmar-se que a Teka tem muita imaginação e redige bem o português. E tanto que o ambiente familiar proporciona estas vocações algo precoces, que a prima, a Soli, com os seus 8 anitos, afirma convicta: «Quando for crescida, quero ser jornalista!». A situação é idêntica à da Teresa: há influências no ar…

 

A Teresinha não deixou, entretanto, de usar os seus neologismos: linguar (lamber), atchingar (espirrar), ou as frases: «Vou mostrar-me ao espelho» e «Tenho tantos quefazeres!». O gosto de cantar e dançar perante o «seu público», também não o perdeu. Andou na ginástica, na dança moderna, na patinagem artística, aprendeu a andar a cavalo e nestas últimas férias a fazer surff. Por agora, depois das aulas, pratica natação. Há apenas uma novidade, que não chega bem a sê-lo, uma vez que o gosto já o demonstrava quando tinha menos idade: a roupa que veste e como se veste. A combinação das cores e os acessórios: lenços, malinhas, chapéus, óculos escuros, incluindo o que escolhe para calçar. Um destes dias, pediu à mãe uma máquina de costura. «Quero começar a fazer a minha própria roupa e preciso muito dela!». Foi a justificação. «Mas não quero ser modelo, quero ser estilista!». Acrescentou.

 

Eu sei que a moda está na moda. As jovens querem ser modelos, querem vestir bem (ou mal). No caso da Teresinha, ela vai mais longe, e afirma com segurança: «Quero marcar presença no mundo da moda!». Sim, que a Teresinha não faz as coisas por menos! O que mais me espanta é que não se fica por aqui nos seus objectivos. Vai ainda mais longe: «Também quero marcar presença no mundo da literatura e no mundo da política!».

 

Que dizer desta Teresinha, decidida no que respeita aos seus objectivos quanto ao futuro, quando ainda há dias usava fraldas e chupeta?! Só isto: como o tempo passa, como os anos voam!

 

Marcar presença no mundo da moda é, pois, um objectivo da Teresinha. Não é impossível, se ela quiser e souber. Marcar presença no mundo da literatura, também pode ser que aconteça, nunca se sabe. Pelo menos, já deu os primeiros passos: três histórias de sua autoria foram publicadas aqui, no Sarrabal. Resta a tal série juvenil, na qual trabalha, infatigavelmente, «mas que não tem ainda título», conforme diz. Agora, marcar presença no mundo da política é que me deixou perplexa: «Teresinha, na política, porquê?». Perguntei-lhe. «Ora, avó, por causa do ambiente, da arquitectura. Já viste o estado de certos prédios, dos muros, dos jardins? Do lixo que está em todo o lado?». Concordei. «Pois é aí que eu quero mandar. Quero acabar com a falta de limpeza, com o desmazelo dos prédios. Quero ruas e jardins bonitos e limpos e viver com asseio e beleza!»

 

Ai, Teresinha, se tudo fosse assim tão fácil como são os teus sonhos de menina, Portugal era o paraíso! Mas, sim, repito: quem sabe, logo se verá…

 

A Soli, também ela grande defensora do ambiente e da reciclagem, sabe dos propósitos da prima e aplaude. E gosta das histórias da Teresa. Quando publiquei aqui a primeira das suas três histórias, a Soli afirmou  num entusiasmo: «Vou ao blog da avó ler a tua história da cabeça aos pés!». Que elogio maior podia a Teresinha receber da prima?

 

Estão a crescer, as minhas netas, as minhas «imperatrizes». Será que a Xana, irmã da Soli, com um aninho e meio feitos, quando andar pela idade da irmã e da prima também vai dizer que quer ser escritora ou jornalista? Que quer ser estilista ou marcar presença na política? Que outros objectivos, diferentes destes, pretenderá ela atingir? Uma coisa é certa: já gosta de livros. Talvez seja meio caminho andado. Como já disse: quem sabe… É esperar, para ver.

 

Soledade Martinho Costa

 

                                                  

                                     

 

publicado por sarrabal às 16:26
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De IBEL a 2 de Março de 2011 às 20:12
Que avó babada e cheia de motivos. Essa teresinha vai longe.
Gosto deste comentário:"Ai, Teresinha, se tudo fosse assim tão fácil como são os teus sonhos de menina, Portugal era o paraíso! Mas, sim, repito: quem sabe, logo se verá…"

PS: Sol, não encontrei o texto sobre a Dulce Pontes e o meu marido também gostava de o ler.
Ah, hoje o Daniel faz anos...
Beijinho


De sarrabal a 3 de Março de 2011 às 01:52
Repito, querida Ibel, «quem sabe, logo se verá...»! Esperemos, sim, que vá longe na realização dos seus sonhos a neta Teresinha da «avó babada»!
Acabei de enviar-lhe por e-mail a crónica que escrevi sobre a Dulce Pontes. Talvez o título («Segredos - O Encontro) tenha sido o motivo para não dar com ela, uma vez que não usei o nome da Dulce para intitular a crónica...
Já fui dar os parabéns ao Daniel. Ainda parece que foi ontem que me alertou para o seu aniversário e já estamos noutro!
Beijinho da Sol


De Daniel de Sá a 6 de Março de 2011 às 16:48
Deixe a Teresinha sonhar. Talvez ainda vivamos o suficiente para sonhar, lendo os seus livros.
Um abraço.
Daniel


De sarrabal a 6 de Março de 2011 às 16:58
Caro Daniel, bonitas palavras, cheias de sonhos e de esperança. Repito as minhas: vamos deixar o tempo passar, quem sabe...

O problema das caixas dos comentários, de que me falou, tem fácil solução. Pode, até, escolher a opção «anónimo» e depois...assinar o seu nome! (Já o fiz várias vezes e resulta!). Também eu continuo a visitar o «Espólio», sempre com agrado.
Outro abraço da Sol


De IBEL a 15 de Março de 2011 às 18:18
E eu quero sonhar também com isso, Daniel!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. 8 DE DEZEMBRO - NOSSA SEN...

. MEDITERRÂNICA

. SAUDADE

. CALENDÁRIO - OUTUBRO

. 1 DE OUTUBRO - DIA MUNDIA...

. «O NOME DOS POEMAS»

. HISTORINHA - O MOCHO E A ...

. A CONTRACAPA DE «O NOME D...

. O MEU NOVO LIVRO «O NOME ...

. A VOZ DO VENTO CHAMA PELO...

. ALGUMA COISA ACONTECE

. HISTORINHA - A TOUPEIRA E...

. CALENDÁRIO - AGOSTO

. LEMBRAR AMÁLIA

. PARABÉNS SARRABAL - E VÃO...

. CERTEZA

. SÃO JOÃO - O SOL E AS PLA...

. PORTUGAL A ARDER - O FOGO...

. HISTORINHA - A ABELHA E O...

. ALGUÉM SE LEMBRA?

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.links

.Contador

conter12
blogs SAPO